Espaço Político

25 abr
2016

Debate sobre a Saúde na Restinga

Na quarta-feira, dia 20 de abril, foi realizada uma reunião do movimento Compartilhe a Mudança para debater com a comunidade da Restinga a situação da Saúde no bairro e em Porto Alegre, na Associação de Moradores Vila Restinga (AMOVIR). O movimento, que contará no pleito de 2016 com Luciana Genro como candidata à prefeitura, está buscando ouvir, conversar e debater com as comunidades seus problemas, desafios e suas vontades de mudança.

A reunião teve presença do Dr. Marcelo Rocha, que é pré-candidato a vereador e um dos responsáveis pelo programa de saúde que o movimento está elaborando nas discussões com as comunidades e trabalhadores da área. Dr. Marcelo, além de responsável pelo programa, trabalha nas áreas de saúde mental, medicina comunitária e saúde da população negra. Atua na saúde comunitária desde a época da faculdade. Foi aprovado em primeiro lugar geral no vestibular da UFRGS de 2007 e também conquistou o título de médico com láurea acadêmica. Foi, por cerca de um ano e meio, médico na USF Lami. Por período semelhante, trabalhou na UBS Macedônia, na Restinga. Criou grandes vínculos com essas comunidades nesse tempo.

A anfitriã da casa, Nídia Albuquerque, abriu o evento dando as saudações para a comunidade e falando da importância de espaços como esses acontecerem feitos ali, no centro da Restinga. Cilas Machado, um dos responsáveis pelo movimento na Restinga, apresentou a plataforma Compartilhe a Mudança, onde a comunidade pode opinar e debater soluções para os problemas da cidade. Salientou que, para construir uma mudança, a distância entre as vontades da comunidade e o poder público devem diminuir, e que antes de tudo e para a construção de qualquer projeto é essencial ouvir a população, pois é ela que se depara todos os dias com os problemas dos serviços públicos – ou a falta deles – nos bairros.

A comunidade relatou problemas no número de médicos em proporção ao número de moradores do bairro, a falta de disponibilidade de fichas para atendimento nos postos e a dificuldade de retirada de medicamentos. Também foi relatado um problema que pode ocorrer futuramente, com o fim do contrato de alguns médicos cubanos e a dificuldade de reposição de outros profissionais nos postos. Foi lembrado pela comunidade como era o antigo atendimento no PA Restinga, quando não existia o Hospital – a comunidade avalia que era melhor quando só havia o PA. Houve, ainda, algumas queixas de o atendimento no Hospital ser, às vezes, mais demorado do que o de um posto normal.

A comunidade tirou como encaminhamentos a necessidade de manter permanente mobilização, a presença na Câmara de Vereadores no dia 12/05/2016 para acompanhar tribuna popular que falará sobre a saúde do bairro e exigir, por meio de abaixo-assinado, melhorias no número de profissionais e no transporte para o hospital, o que poderá ser articulado junto à comunidade do Lami, que não possui ônibus direto para o Hospital Restinga/Extremo-Sul. O objetivo é formar um grupo com as pessoas presentes para ir atrás do cumprimento do direito à saúde, um direito que é de todos e dever do Estado.

A TV Restinga esteve junto participando do debate, transmitindo ao vivo pelo seu canal no Facebook e registrando todas as falas, que serão disponibilizadas em vídeo, publicado na íntegra, em seu canal no YouTube.

Texto: Cilas Machado
Fotos: Thayná Ignácio
Produção: Márcio Figueira

Confira abaixo algumas fotos:

Comente esta matéria

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.