Slide Home

22 jan
2016

CONTÊINERS DE LIXO EM PORTO ALEGRE: O MAPA DA VERGONHA E DA DESIGUALDADE

Recebemos de uma leitora nossa, moradora do bairro Moinhos de Vento, um estudo feito por ela mesma, que nos causou grande perplexidade. Em apenas 1 quadra do bairro é possível encontrar nada mais, nada menos, do que 13 novos contêiners de lixo. Diante da constatação, ela nos questionou como estava a disponibilidade e distribuição de contêiners aqui na nossa comunidade, a qual ela tem grande apreço e acompanha, através do nosso canal, os fatos do nosso bairro e nossa luta pelas melhorias e por mais igualdade.
Para surpresa dela, informamos que aqui na Restinga, não temos absolutamente NENHUM destes contêiners a disposição dos nossos moradores, mostrando que além da desigualdade explícita, demonstra também um mau gerenciamento dos recursos financeiros públicos.
Recentemente, a Prefeitura de Porto Alegre assinou contrato com a empresa Conesul, nova responsável pela coleta de lixo na capital e o número de contêiners espalhados pela cidade deve duplicar, passando de 1.200 para 2.400, que serão instalados em cerca de 19 bairros, porém, todos na chamada “zona nobre”, incluindo bairros como o próprio Moinhos de Vento, Petrópolis, Mont’Serrat, Bela Vista, dentre outros e NENHUM contêiner em bairros mais afastados da região central e localizados na periferia.
Atualmente, temos diversos problemas com focos de lixo espalhados na nossa comunidade, resultado de 2 fatores: Falta de Educação e Falta / Ausência de Estrutura do Pode Público.
Se tivéssemos contêiners em pontos cruciais na Restinga, devidamente mapeados pelo DMLU e fosse feita uma campanha forte de educação e conscientização dos moradores, estes problemas poderiam diminuir e muito aqui na nossa comunidade.
Por isso, enquanto não houver uma verdadeira atenção dos nossos gestores e políticas públicas SÉRIAS para as comunidades carentes, como a Restinga, pouca coisa vai avançar e os moradores dos ditos “bairros nobres”, continuarão sempre tendo todos os privilégios, apesar de alguns, como nossa amiga leitora que não quis se identificar, não concordarem com esta imensa desigualdade.
Abaixo, fotos dos cantêiners instalados na região do Moinhos de Vento e até mesmo um mapa feito pela própria leitora. Um verdadeiro MAPA DA VERGONHA E DA DESIGUALDADE.

Comente esta matéria

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.