Matéria Especial

09 ago
2014

HOSPITAL RESTINGA E EXTREMO-SUL – Os primeiros 30 dias da Fase A

HOSPITAL RESTINGA E EXTREMO-SUL – Os primeiros 30 dias da Fase A 

No dia 1º de julho de 2014 iniciou a primeira fase (FASE A) de operações do Complexo Hospitalar Restinga e Extremo-Sul, com a transferência do Pronto Atendimento Restinga que existia na Rua Álvaro Difini, Restinga, há 10 anos.

Nesta primeira fase o Hospital opera com Unidade de Pronto Atendimento adulto e pediátrico, 25 leitos de observação e mais 62 leitos de internação.

Nestes 30 dias, já foram realizados cerca de 8.300 atendimentos na UPA Hospitalar, sendo 65% adultos e 35% pediátricos.  Cerca de 1300 exames de imagem foram realizados, entre raio-x e tomografias. Os atendimentos classificados como vermelho e amarelo, ou seja, situações de maior gravidade e que exigem uma resposta rápida da equipe assistencial, são prioridade e representam em torno de 25% do total de atendimentos. Uma parte destes atendimentos se relacionaram a situações envolvendo causas externas, como traumas por atropelamento ou causadas por arma de fogo. Outra parte importante dos atendimentos se relacionou a situações agudas de dor abdominal, dor torácica ou acidente vascular cerebral que possuem protocolos médicos visando garantir a uniformidade e qualidade do atendimento. As doenças respiratórias completam as principais causas dos atendimentos dos pacientes de maior gravidade.

Toda a estrutura assistencial é apoiada pelos serviços de nutrição, farmácia, área administrativa, equipe de segurança, hospedagem, almoxarifado e manutenção.

A abertura dos leitos é gradual, à medida que as equipes são contratadas e treinadas, conforme contratualização com Secretaria Municipal de Saúde. Hoje já são operados os 25 leitos de observação e 30 leitos de internação, que já contabilizaram 101 internações. Estas pessoas, antes da abertura do Hospital, necessitavam realizar deslocamentos para Hospitais distantes da Restinga e Extremo-Sul. Os próximos 32 leitos devem abrir nas próximas semanas, conforme previsto, à medida que mais colaboradores serão contratados.

 Participação da comunidade

Além das atividades desenvolvidas no Hospital, várias ações foram realizadas com o objetivo de integrar a Instituição aos Postos de Saúde que atuam nas regiões da Restinga e Extremo-Sul. Outros serviços previstos para o Complexo Hospitalar, como o Centro de Diagnósticos e Centro de Especialidades, por exemplo, serão organizados a partir da identificação das necessidades atuais das Equipes que atuam nos Postos.

Nestes primeiros 30 dias, outro aspecto a ser destacado é a participação de pessoas da comunidade que se apresentaram como voluntárias para contribuir como orientadoras na sala de espera da emergência.  A participação destas pessoas demonstra o quanto a comunidade da Restinga e Extremo-Sul está envolvida com o Hospital, que ao iniciar as atividades concretizou uma luta de muitos anos e que a partir de agora avança para ampliar a assistência à saúde destas regiões.

 Abertura em etapas

Quando o Hospital estiver em pleno funcionamento, previsto para 2015, deverá contar também com mais leitos, chegando a um total de 121 leitos de internação e 48 leitos de passagem.

Além disso, contará com:

  • ·         Centro de Especialidades, um espaço destinado ao atendimento ambulatorial de especialidades médicas, multiprofissionais e odontológicas, com 20 consultórios.
  • ·         Unidade de Diagnóstico para atender as demandas do hospital e das Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Saúde da Família da região da Restinga e Extremo-Sul.
  • ·         Centro Cirúrgico, Centro Obstétrico e CTI Adulto
  • ·         Escola de Gestão em Saúde - responsável pela formação e qualificação de recursos humanos.

A abertura de novas áreas do hospital depende de valores de isenções fiscais do Hospital Moinhos de Vento que, através do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS), pode aplicá-los em projetos de melhoria do SUS. Para colocar o Hospital em funcionamento, todas as isenções de 2014 já foram adiantadas e aplicadas na obra.

O Hospital Moinhos de Vento, através do PROADI-SUS, utilizando recursos de suas isenções fiscais, viu a oportunidade de utilizar sua expertise e tradição no campo da gestão em saúde e do conhecimento para o desenvolvimento de um Sistema Regional de Saúde. O Sistema deverá atender a maioria das necessidades de saúde de uma população específica, servindo de modelo de gestão para o SUS, podendo ser replicado em outras regiões do estado e do País.

 Nova turma de Técnicos em Enfermagem para o Hospital Restinga e Extremo-Sul

Neste mês de agosto terá a formatura de mais 44 Técnicos em Enfermagem moradores da região. Eles foram selecionados pela Escola de Gestão em Saúde que, desde o ano de 2009, utilizando temporariamente as instalações do Hospital Moinhos de Vento, oferece cursos profissionalizantes, cursos técnicos em enfermagem e em odontologia, cursos de pós graduação e capacitações.

Nos últimos cinco anos, a Escola de Gestão em Saúde capacitou mais de 600 moradores da região da Restinga e Extremo-Sul, muitos dos quais já estão trabalhando no Hospital Restinga e Extremo-Sul.

Estes novos alunos irão integrar a equipe que cuidará dos novos 32 leitos.

Comente esta matéria

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.