Slide Home

27 set
2016

BRIGADA MILITAR INICIA MIGRAÇÃO PARA SISTEMA DIGITAL DE COMUNICAÇÃO. PROJETO PILOTO FOI LANÇADO NO 21º BPM AQUI NA RESTINGA.

Teve início nesta segunda-feira a migração do sistema analógico para o digital nas comunicações da Brigada Militar (BM), tendo como base a ativação do projeto piloto de radiocomunicação, usando tecnologia APCO 25, na sede do 21º Batalhão de Polícia Militar (21ºBPM), no bairro Restinga, zona Sul de Porto Alegre.

Durante os próximos 30 dias o projeto será monitorado e avaliado para que a utilização possa vir a ser ampliada. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) e o Centro de Manutenção Tecnológica da BM (CMTec/BM) já possuem infraestrutura na Capital em tecnologia APCO 25, que está sendo migrada para digital, aos poucos, por fases, iniciando pelo próprio CMTec (como fase experimental). Agora, a BM implanta a fase piloto com o 21º BPM, para o uso no Policiamento Ostensivo. Com a aquisição de mais terminais portáteis, a Brigada Militar estenderá às demais unidades em Porto Alegre. Outras regiões do Rio Grande do Sul seguem um plano de fases regionais pós-Capital.

A tecnologia escolhida pela BM, APCO 25 ou Projeto 25, é uma técnica digital de rádio profissional criada pela Associação dos Oficiais de Comunicações de Segurança Pública dos Estados Unidos, usada em todo território americano e por muitas Polícias e Bombeiros do mundo inteiro. No Brasil está sendo a opção de muitos órgãos de Defesa e Segurança Pública, como Exército Brasileiro, prefeituras municipais de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

De acordo com o chefe do CMTec/BM, tenente-coronel Marcelo Giusti, entre as vantagens que a ferramenta traz para as comunicações policiais estão: sigilo, identificação automática de terminais, maior qualidade de áudio e criptografia (segurança adicional). “Por seus equipamentos possuirem potência alta em comparação a outras tecnologias, a cobertura de sinal tende a ser maior, necessitando menos pontos de repetição na infraestrutura. Os aparelhos também possuem normatização internacional de padrões, o que garante a troca de informações entre os inúmeros fabricantes em uma mesma rede, mantendo suas características básicas”, destacou Giusti. O tenente-coronel ainda lembrou que a manutenção técnica, em primeiro plano, já é de domínio do Centro de Manutenção Tecnológica da BM.

O diretor do Departamento de Informática da BM, coronel José Luis Ribeiro Paz, disse que a nova tecnologia permite o aproveitamento e a comunicação com os equipamentos atuais analógicos, até que completem sua vida útil. “Além disso, a troca de sistema atendeu normativas da Associação Nacional de Telecomunicações (Anatel) para a Segurança Pública brasileira, que estabeleceu um prazo de migração de sistema até 2021”, afirmou. Com isso, o projeto piloto está cinco anos à frente da meta estipulada pela associação.

Fonte / Foto: Brigada Militar

Os comentários estão fechados.